De todas as palavras que eu disse, nenhuma me surpreendeu tanto.
continua
em destaque
Eduardo Lourenço

Na sua análise de Portugal como Destino, Eduardo Lourenço afirma que Garrett e Herculano refundaram a pátria porque, «pela primeira vez e de uma maneira mais radical do que acontecera nas raras mas fortes crises que pontuaram a nossa história de nação independente. continua
Manoel de Oliveira

Meu caro Eduardo Lourenço,
As realidades vividas e depois transcritas para novelas não deixam nem de ter existido, nem mesmo de continuarem a existir. E no cinema, de uma maneira ou outras, voltam a existir desde que haja A GRÃ GLÓRIA de as filmar.
continua
João José Cochofel

Meu caro Eduardo Lourenço:
Cai-me a cara com vergonha de ainda te não ter agradecido não só o espaço que me dedicaste, mas ainda a amiga oferta do teu estudo sobre o «Sentido e forma da poesia neo-realista» (porque não lhe chamaste antes qualquer coisa como «o neo-realismo coimbrão» ou «três poetas neo-realistas»?
continua